Medos

setembro 01, 2016

medosEm meus encontros de coaching tenho me deparado com muitas pessoas, de enorme potencial, que se encontram inseguras, paradas, congeladas… pelo medo.

Medo de se lançar para os seus sonhos.  Medo de sair da sua “Zona de Conforto” ( https://www.youtube.com/watch?v=5YSOiYWiPbY ) e buscar novos objetivos.

Nem sempre esse medo é facilmente identificável, pois ele se esconde por trás de crenças: Não tenho dinheiro; não tenho tempo; não sei se isso é pra mim; etc…

Já me deparei com pessoas que tinham medo de atingir o seu potencial. Ficavam paradas, pois acreditavam que se fossem promovidas ou se conquistassem o seu sonho não dariam conta da nova realidade.

Todos nós fomos criados para brilhar. Fomos criados para atingir o nosso potencial máximo. Fomos criados para a prosperidade, para o bom, para sermos quem podemos ser…

Assuma essa realidade e faça hoje algo melhor do que ontem e lembre-se de que atingir a meta é maravilhoso, mas quando você tiver realizado os seus objetivos e olhar para trás verá que o que tem para contar dessa sua história são os caminhos que você percorreu para chegar até lá.  Algumas pessoas ficam tão preocupadas em chegar que não percebem que nesse caminho tem muita coisa boa.

Quando lemos um livro biográfico de um grande personagem, observamos que a descrição do seu grande feito está no último capítulo, mas todos os outros capítulos mostram o caminho que ele precisou seguir até a sua grande realização. Esse caminho é a história desse personagem.

Busque as suas metas e os seus objetivos, mas não deixe de aproveitar o caminho e curtir a paisagem.

Viva um dia de cada vez, mas viva com intensidade. Todo início de dia eu me comprometo com o seguinte pensamento: “Viverei hoje como se fosse o meu último dia, e amanhã serei grato pela oportunidade de viver outro dia ainda melhor”.

Não tenha medo de atingir o seu potencial máximo. Arrisque-se, seja o melhor que puder. A vida espera isso de você e você merece conquistar os seus sonhos.

Crie a sua melhor história, aproveite o caminho e curta a paisagem.

1 Comment. Leave new

Djanira Abrantes
1 de setembro de 2016 17:41

Muito boa reflexão sobre aquilo que nos paralisa, seja lá o nome que tiver. Obrigada.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *