Fazer…

novembro 08, 2018

Estamos vivendo um período de muita “oferta” de conhecimento. Tornou-se muito fácil obter conhecimento através de livros, vídeos, palestras ou até consultas rápidas na internet.

A dúvida é: de quanta informação precisamos para tomar uma decisão?

Muitas vezes uma tomada de decisão é adiada indefinidamente, seja nas empresas ou nas vidas pessoais buscando a informação correta que dará a certeza da melhor atitude, quando a melhor atitude de fato é tomar uma decisão rápida.

Não quero dizer que sou contra os planejamentos estudados e nem pela busca do conhecimento. O que digo é que adiar a ação para que a decisão seja melhor analisada é muito mais prejudicial do que uma ação rápida, mesmo que no futuro ela se mostre como não tendo sido a melhor. Uma decisão 50% errada também é uma decisão 50% certa e não ter uma atitude significa que estará 0% mais próximo da solução, ou seja, faça alguma coisa!

Claro que entendo que você está em um cargo de tomada de decisão porque já mostrou competência e conhecimentos adquiridos para chegar até esse lugar e, portanto já sabe como agir. Uma pessoa se torna mais preparada estudando, mas só se torna mais experiente fazendo.

Fico pensando em quantos livros Henry Ford pode estudar sobre montagem de linhas de produção, ou Steve Jobs para criar o seu primeiro computador, ou ainda Bill Gates para desenvolver o seu sistema operacional? Claro que eles tinham conhecimento, mas muito maior era a vontade de tentar e fazer. Claro que eles erraram muito, mas na vez seguinte faziam melhor. Cada vez se tornavam mais experientes e aumentavam o seu conhecimento fazendo, e não só estudando.

Imagine um jogador de tênis que queira se tornar excelente apenas lendo e assistindo vídeos. Não é possível. Ele precisa fazer, errar e se esforçar para fazer melhor.

Não sou a favor da frase: “É errando que se aprende”, pois conheço gente que tem errado a vida toda e ainda não aprendeu. Mas acredito que aprendemos quando queremos fazer melhor na próxima vez, e na próxima, e… Ou seja, acredito que seja através do esforço para fazer bem feito é que se aprende.

Muitas vezes, nas minhas consultorias ou treinamento, sou chamado para ajudar na tomada de decisões. Algumas vezes, apesar das minhas orientações, foram tantas reuniões e elaborações de estratégias para se definir qual seria a melhor atitude que no final o cliente já havia sido perdido ou um bom funcionário saído para um concorrente onde teria mais oportunidade de ser escutado nas mudanças sugeridas.

Quando o problema é muito estudado, talvez a solução chegue muito tarde.

E você? O que está esperando para agir? Faça agora e depois melhore!

No comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *